quinta-feira, 6 de novembro de 2014

Por que eles mentiram?

Muitos atribuem as dificuldades em suas vidas à presidenta reeleita Dilma Rousseff, principalmente gente da alta sociedade e pessoas de censo comum. Mas, para estes, o que está ruim? o preço da gasolina? o aumento de impostos? a baixa competitividade da indústria brasileira? o atraso das obras públicas? os escândalos de corrupção? do que, exatamente, estas pessoas estão reclamando? Sai governo e entra governo e as notícias são as mesmas, as manchetes são as mesmas... no mandato de FHC também havia tudo isto, no de Getúlio Vargas também havia tudo isto, no de Juscelino Kubitschek também havia tudo isto, sempre houve e sempre haverá tudo isto. Então, por que continuam insistindo nos ataques contra a presidenta?
A resposta é óbvia: interesses privados. É do conhecimento de todos que, após ganhar as eleições, o governante tem de negociar a governabilidade e, para tanto, tem de se sentar à mesa com a oposição – ministérios, secretarias e presidência de grandes órgãos são o alvo. Sabendo que possui metade do eleitorado brasileiro a seu favor, a oposição tem-se utilizado dos meios de comunicação de massa para pressionar. Prova disto foi a notícia veiculada ontem, em horário nobre, pela principal emissora de TV aberta do país: “Cresceu o número de miseráveis”.
Bastou esta informação incompleta para que milhões de fantoches começassem a publicar calúnias e injúrias de todos os tipos nas redes sociais. Influenciados pelo que julgam ser “a verdade”, uma legião de anônimos criam (com a falsa impressão de que o fazem pelas próprias ideias) uma espécie de “cortina negra” que obrigará o governo reeleito a ceder mais do que o necessário em nome da chamada “governabilidade”, comprometendo, desse modo, a margem de atuação de Dilma.
Quem perde com isto, caro leitor, não são os poderosos – donos de empresas, socialites, banqueiros – quem perde com isto é você, sou eu, pois eles herdarão os altos cargos e os altos salários, e nós, o que sobrar desta disputa. Precisamos começar a duvidar das coisas, a informação correta era: “Cresceu o número de miseráveis, mas diminuiu o número de pobres”. Por que eles mentiram?

[Imagem de Pawel Kuczynski]

Um comentário:

  1. "É lei inflexível que enquanto o povo for ignorante, a revolução será estéril" (Fialho de Almeida).

    ResponderExcluir