domingo, 12 de outubro de 2014

Aécio, o que é democracia?

Aristóteles estava, em parte, errado quando formulou esta premissa: “[...] a faculdade de julgar de um indivíduo está sujeita a corromper-se quando ele é dominado pela cólera ou qualquer outra emoção; contrariamente, é uma tarefa difícil encolerizar um grande número de pessoas e levá-las a errar coletivamente” (p.112). Em parte, pois, sem o domínio de seus sentimentos interiores, o homem, de fato, não raciocina direito, entretanto, quando manipulado pelos meios de comunicação, tanto o indivíduo quanto a coletividade, mesmo com o domínio de seus sentimentos interiores, são induzidos ao erro. Ou seja, como Aristóteles não viveu tempo suficiente para conhecer a televisão, a internet, as revistas, os jornais e todas as outras mídias de massa, não pôde prever, em seus tratados de filosofia, a influência e o peso que estes mecanismos teriam, por exemplo, numa eleição presidencial.
Na última semana, a nação brasileira foi surpreendida pelas denúncias de corrupção envolvendo a Petrobrás. Foi surpreendida, pois, justamente agora, se debate o futuro do país nas urnas. O modo como as denúncias foram feitas despertaram em mim uma certa desconfiança; o denunciador, Paulo Roberto Costa, que foi diretor da Gaspetro durante o governo FHC, revelou detalhes importantíssimos do esquema, inclusive citou nomes, em rede nacional, o que, numa situação de “normalidade”, não aconteceria. Não aconteceria, pois, os corruptos têm medo da morte, têm medo que os seus comparsas os assassinem. Mas, Paulo Roberto Costa, não teve medo e, com suas denúncias mirabolantes, favoreceu o candidato Aécio Neves, do PSDB. Não teria sido esta a intenção do denunciador: a de encolerizar um grande número de pessoas, levando-as a errar coletivamente?
Não é preciso ser nenhum filósofo para perceber que há um “grupo de interesse” tentando manipular o eleitor, tentando jogá-lo contra a presidenta Dilma. Se não é assim, então porque a mídia não fala sobre a falta de água no estado de São Paulo, onde a candidata do PT obteve um dos piores desempenhos no 1° turno? Ora, não se fala disso porque SP é governada por um candidato tucano.
Há um poderoso “grupo de interesse” tentando distorcer a realidade, difundindo a injustiça, corrompendo o eleitorado, assassinando a verdadeira democracia. Aristóteles, se estivesse vivo, ficaria decepcionado – fora Aécio e sua gangue, o Brasil não se engana com vocês!

[ARISTÓTELES. A Política. In: Livro III, capítulo X. Editora: Universidade de Brasília, DF, 1985]

2 comentários:

  1. Aécio Neves se recusou a fazer o teste do bafômetro para que não fosse constatada a sua embriaguez - quem não pratica o certo na vida privada, praticará o certo na vida pública?

    Já contra a Dilma, não se tem nada a dizer. Se fala muito sobre esquemas de corrupção envolvendo o Partido dos Trabalhadores, mas jamais de falou do nome da Dilma dentro destes esquemas - a presidenta é uma pessoa íntegra.

    Vote 13!

    ResponderExcluir
  2. O delator Paulo Roberto Costa levou o Brasil à lona.

    Depois de afundar PT, PMDB e PP na lama das propinas pagas com negócios entre empreiteiras e a Petrobrás, fazendo a alegria dos tucanos, Costa resolveu empatar o jogo e denunciou o ex-presidente do PSDB, Sérgio Guerra, por ter pedido, segundo ele, R$ 10 milhões para abafar uma CPI que se propunha a investigar a sujeira sob o tapete da petroleira brasileira.

    E agora?

    Em terra de gatos políticos todos são pardos na longa noite da corrupção?

    O que dirão disso os colunistas tucanos Merval Pereira, Lobão, Arnaldo Jabor e Reinaldo Azevedo?

    O que dirá sobre isso a capa da revista Veja?

    Nada? Tudo? Um pouco? O que dirá o Jornal Nacional?

    (Juremir Machado da Silva).

    ResponderExcluir